No Carnaval, ninguém leva a mal…

a-visita-de-deus
Deus abençoando a casa da Aradhana…

Mas Deus, que não vai com essas graças pagãs, resolveu aparecer em casa da Aradhana trazendo consigo a sua bem aventurada acólita para uma visita ao Alma Portuguesa local de encontro de muitos pagãos ou daqueles que já chumbaram pelas faltas cometidas.

Deus, em pessoa, na Alma Portuguesa...
Deus, em pessoa, na Alma Portuguesa…

Bardus Langsdorff esclarecendo dúvidas...

Sem dúvida, o ponto alto da noite foi a chegada do Bardus Langsdorff que proclamou a sua inocência na paternidade do filho da Maria de que era acusado, motivo pelo qual a mesma, sem dó, nem piedade, resolveu mandá-lo capar pelo carrasco Pedro, tendo tudo ficado escrito pelo próprio Bardus nos autos lidos pelo locutor de serviço (ele apelida-se de porteiro) Luís Gaspar… ora leiam…

Mais uma vez a Maria

Não gostou do Avatar

Que ontem à noite eu trazia

E que resolve alterar.

 Eu que estou a iniciar

E sou um desajeitado,

Lá fui com ela comprar

Roupas ao sítio indicado.

Com a mala recheada

Ela me leva a seguir

A uma sala recatada

Onde então me fez despir!

Fico à frente dela assim,

Nuzinho, todo despido,

Ai meu Deus, pobre de mim,

De “apêndice” desprovido.

Ela com desilusão,

A seguir pediu ao Pedro

Para me fazer a adição,

Que ele para isso tem dedo!

Confio nele, e aceito,

O acessório arranjado,

Julgando que o tinha feito

Mas de um modo disfarçado!

Vejam a minha figura

Ao aparecer no Salão;

Ridícula criatura

Com “aquilo”…ao pendurão!

O que vale é que a Aradhana

Já se tinha retirado,

Pois perdia a tramontana

Vendo assim o afilhado.

Ainda por cima a Maria

Ao ver tão murcho acessório,

Ali amesquinharia

O instrumento irrisório.

E o Pedro pesaroso

Pareceu que ia encapotar,

Aquele aspecto asqueroso

E afinal… foi-me capar!

Agora ando apoquentado,

E aqui fica o desabafo;

Se elas sabem ser castrado

Como é que agora eu me safo?

Ó Pedro volta a colar

Aquilo, com eficácia,

E se ele ainda murchar,

Eu resolvo…na Farmácia!

E assim terminou um animado serão… pelas três horas da manhã…

Anúncios

11 pensamentos sobre “No Carnaval, ninguém leva a mal…

  1. Lindoo 🙂
    O que tenho andado a perder ;))
    E adoro o teu blog…tenho é de tirar uns minutinhos grandes para o ler como deve ser ;))

  2. Bardus Langsdorff fez-me lembrar do meu poeta preferido!!! só que esse, quase que juro que, não se deixava capar assim…
    Gosto do teu blog, volto para ver tudo mais em pormenor.

  3. Hoje acabei por me lembrar de ler de alto a baixo o teu blog, gostei do que li e espero que continues neste caminho, fiquei maravilhado.

    Beijos…

    Pedro

  4. … fiquei tal maneira maravilhado que me esqueci de comentar este post lolllllllllllllll
    Falam no meu nome mas não me vejo na foto acima exposta, para a próxima não se esqueçam de fotografar os respectivos avatares relacionados com o post. 😉

    continuação de boa disposição.

    beijos
    Pedro

  5. Afro, grata pela presença e pelas palavras; é sempre bom saber que gostam do que escrevemos.

    Espero que voltes mais vezes, está é também uma forma de darmos a conhecer a “vida” interior dos avarates no Second Life… 😉

    Beijinho e tudo de bom para ti 😉

  6. Mári… o Bardus Langsdorff é um ser especial, com uma sensibilidade para a escrita fantástica e de que gosto muito. Irei colocar aqui muito mais vezes as suas quadras tão humorísticas.
    Beijinho e grata pela visita 😉

  7. Olá Pedro Ferreira!
    Grata pela visita e pelo comentário!
    Tens razão, a tua imagem ainda não está cá porque não coloco, nem tiro imagens sem autorização dos próprios e tenho esquecido de te perguntar se te posso fotografar…
    Um dia destes tens uma surpresa 😉
    Beijinho e espero que voltes mais vezes.

  8. Querida Madrinha Aradhana
    Fico tão emocionado
    Com o que dizes de mim,
    Que ao ler-te meu estro emana,
    Sentindo-me tão mimado,
    Que nunca me vi assim.

    E no Alma Portuguesa
    Onde fui pela tua mão
    Eu sinto grande consolo;
    Tu és a minha Princesa
    Por isso peço perdão
    Se me portar como um tolo!

    Na tua mágica mesa,
    Hás-de me sentar um dia
    Para pedir um desejo;
    De conseguir a proeza
    De alcançar pela magia
    Um Amor que tanto almejo!
    Um beijo pela forma como te referes a mim. João

  9. Parabéns Aradhana, tens muito bom gosto e este blogue é a prova disso para além de seres possuidora duma alegria contagiante e de uma beleza (que não direi qual) espectacular.

    ADORO a tua maneira de falar 🙂

    És linda (apesar de marota) :mrgreen:

  10. Obrigada, Electro! Fico muito feliz por estas palavras! 😉
    E está bem, confesso, sou uma marota mas inofensivva ! eheheh
    Beijinho e grata pela visita. 🙂

  11. Querido Afilhado João, estragas-me com mimos!

    E os teus poemas encantam-me! 🙂

    Ainda havemos de fazer uma sessão de poesia com todos os poemas que estou a coleccionar de tua autoria. Davam um livro!

    Beijinhos e grata pelas tuas palavras 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s