Momentos… Second Life.

Meu querido Diário… anda um vírus qualquer no Alma Portuguesa!

Depois dos episódios que atrás descrevi que alvoraçaram o local, dos amores incompreendidos do triangulo Maria, Bartus e Othelo eis que, por causa, alegadamente, de um cigarro oferecido pelo Badtrip Paine, que com aquele ar de anjinho loiro de quem não faz mal a ninguém,   mas mandou o conhecido locutor Luís Gaspar para uma qualquer galáxia,  dado que o homem veio completamente alucinado, garantindo a pés juntos que o tinham mandado para um local onde todos andavam despidos e que, tinha ido numa ambulância cor de rosa parar a um hospital,  onde as enfermeiras igualmente despidas, já se preparavam para lhe retirar a roupa, quando ele de lá conseguiu fugir, completamente perturbado.

   

Testemunha idónea garantiu que a versão estava mal contada, que tinha sido o mencionado locutor a atacar, literalmente, uma das assistentes com um descabido pedido de casamento, dizendo-se muito traumatizado uma vez que tinha sido rejeitado por todas as avatares que tinha pedido em casamento, expressando que se encontrava amaldiçoado, quiçá por algum cigano despeitado, já que tinha todos os predicados para arranjar uma parceira dedicada e, afinal, nenhuma se interessava por ele!

Por causa de um cigarro "marado"...
Por causa de um cigarro “marado”…

Completamente descomposto, como se pode verificar pela imagem, o locutor mais conhecido do Alma Portuguesa vocifera palavras desconexas contra o seu amigo Badtrip, acabando por cair dentro de um pipo instalado no recinto, sendo agraciado pelo Trovador do Alma  Bardus Langsdorff,com estas esclarecedoras quadras …  

 

Desculpa lá Luizinho

O que tu foste fazer,

Cair num barril de vinho

E o efeito está-se a ver!

 

Desculpas-te com o charuto

Que alguém te deu à noitinha,

Mas portas-te como um puto

Mesmo até com a Clarinha.

 

Vai beber chá de cidreira

Logo que chegue o autocarro;

Vai curar a bebedeira

Não fumes mais nenhum charro.

 

Envergonhado, acabou por se retirar, alegando uma forte dor de cabeça…e desconhecemos até agora, se o chá de cidreira fez algum efeito!

 

Mas os incidentes não acabam aqui! As coisas no Alma andam realmente estranhas, nos últimos tempos…

um momento muito complicado...a merecer investigação...

Depois dos amores mal sucedidos com a Maria, a quem não perdoa a traição, o Bardus apontou a artilharia dele, vejam só, para a Aradhana e o Miúdo Ruby!

 

Isso mesmo! Para a inofensiva Aradhana que só pensa nos gatitos que tem em casa, miando desesperadamente, quando ela se ausenta!

o Miúdo...
o Miúdo…

E resolveu implicar de tal forma com o Miúdo que o acusou de andar a fazer olhinhos à Aradhana!  

Foi a confusão geral… de um lado, os apoiantes do Bardus, do outro, os que achavam que o Miúdo era tão tímido que não se atreveria a tal, ainda mais depois de o tal locutor a ter pedido publicamente em casamento ao qual, evidentemente, ela recusou, já que não aceita ser considerada uma segunda escolha, depois de o dito ter feito o mesmo pedido a todas as avatares do burgo e ter sido enjeitado!

 

Mas quem convencia o Bardus?  E, apesar de o Electroescadas ter manifestado a sua discordância de tal facto, o Bardus completamente fora de si, ameaçou o Miúdo desta forma…

 

Eu não sei quem és, miúdo,

Porque antes nunca te vi!

Mas vou recorrer a tudo

Para que saias daqui!

 

Eu já te não posso ver

E deves ser um sacana;

Porque te estás a bater

À minha amiga Aradhana!

 

Eu contigo não discuto,

Mas agora vai crescer;

Quando deixares de ser puto

É que deves aparecer!

O Electro, calmamente, apaziguando as hostes...
O Electro, calmamente, apaziguando as hostes…

Não fora as palavras sensatas do Electroescadas apelando para o bom senso já que o Miúdo era um inexperiente nestas andanças, acalmando a fúria incontida do Trovador,  não se sabe como terminaria a noite…

 

O susto foi de tal ordem, que se pressupõe que o Miúdo, aterrorizado, não tenha voltado mais ao Alma Portuguesa por motivo desta contenda, já que entretanto, nunca mais por lá foi visto!

 

Uma noite que ficará na memória…

Anúncios

4 pensamentos sobre “Momentos… Second Life.

  1. Está lindo o Blog goto goto goto goto goto
    Quanto a garrafa de Vodka, hummmmmm vou investigar conheço aquela garrafa de qualquer lado, so falta me lembrar de onde 😀

  2. Electro … se for só “pinta”…

    mas já ouvi algures por aí dizer que tinhas um coração de manteiga!

    😉

  3. eheheh TP… de facto deves conhecer a garrafa (é de Vodka? Nem sabia!) falta saber se será a mesma… 😉

    Grata pela tua presença e especialmente por teres “gotado” … já somos dois!

    Beijinho e volta sempre 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s